Verbetes relacionados:
A religião grega
Adorno
Anaxágoras
Empirismo
Escola de Atenas legendada
Escola sofística
Filosofia, roteiro de estudo
Filosofia, um breve resumo da história
História da filosofia, etapas da filosofia grega
Ideias por autores
Indução
Ironia
Maiêutica
Maimônides
Miranda, filosofia da ciência
Racionalismo
Sobre sócrates e nietzsche
Trigo, Pensamento filosófico


AlbertoSantos.org       Capa   |   direito   |   filosofia   |   resenhas   |   emap   |   mapa   |   Busca



J. L. David. Morte de Sócrates. Clique no link para rel://files/00-jacques-louis-david-the-death-of-socrates-1787.jpg

Sócrates



Bio. N. Atenas, -470. Antes, os filósofos buscavam uma explicação para o mundo natural, a physis. Sócrates voltou a filosofia para o homem e tudo o que fosse humano, como a ética e a política [1]. “A sabedoria significava entender a verdadeira natureza da nossa existência, inclusive os limites do que podemos saber” [7].

Metafilosofia. A filosofia não é possível enquanto o indivíduo não se volta para si próprio e reconhece suas limitações. Abordagem pelo diálogo: método indutivo, ”Maiêutica”, trazer a verdade à luz.

Epistemologia. Bases do Racionalismo idealista /v. Idealismo/. Criou a Indução, apreensão da essência (do universal que se acha contido no particular), na determinação conceitual e na definição. Não se trata, por exemplo, de definir a beleza dos objetos, mas a beleza em si mesma, em sua essência ou determinação universal. Teoria das essências, base da teoria platônica das idéias (m.c.: O que pode ser “racionalismo idealista”?).

Ética, Felicidade. O único assunto da ~f de ^ era o =homem. A ~f é o caminho da verdadeira Felicidade, e se propõe a contemplar Deus to abstract the soul from corporeal sense [3].

A virtude supõe o conhecimento racional do bem, razão pela qual se pode ensinar. O que há de comum entre todas as virtudes é a sabedoria, que é o poder da alma sobre o corpo, a [Temperança] ou o domínio de si mesmo. Possibilitando o domínio do corpo, a temperança permite que a alma realize as atividades que lhe são próprias, chegando à ciência do bem. O vício não passa de ignorância, pois ninguém pode fazer o mal voluntariamente [1] [4].

Rejeitou a noção de que conceitos como virtude fossem relativos. O que é certo é certo em qualquer parte do mundo, quaisquer que sejam as leis locais (a paz de espírito é atingida fazendo o certo, que não é mesmo que seguir o código moral da época [5]). Areté, que traduzimos por virtude, significava, naquele tempo, excelência e concretização. Achava que ninguém deseja realmente fazer o mal, que só é praticado por falta de sabedoria (no mesmo sentido, sobre a bondade inata do ser humano, ensinava Mêncio (Men-zi, China, séc. IV a.c.)). Logo, só existe uma coisa boa, o conhecimento, e uma coisa má, a ignorância [2].

Reação contra o Relativismo dos sofistas, contra o individualismo e a crise de valores. Pregava um sistema moral absolutamente alheio às doutrinas religiosas [1].

Filosofia política. Admitia a aristocracia -- governo dos melhores -- como a forma desejável de administração do estado [1].

Teologia. Os princípios de todas as coisas eram, para ^, três: Deus, matéria e ideias. Sobre Deus, ele disse: “O que ele é, eu não sei; o que ele não é, eu sei”. A matéria ele definiu como o que é sujeito a geração e corrupção. Ideia, como substância incorruptível, o intelecto de Deus. Sabedoria é a soma das Virtudes [3].


Notas e adendos:

[1] f. pr.: G99e.

[2] B2011f.

[3] H1928s.

[4] V. Adorno.

[5] V2013g.

[6] S1998s-b.

[7] W2012u 14.